Tag

cartão de crédito

Browsing

Inscrições abertas para a Mentoria do Mil ao Milhão 4.0: https://r.oprimorico.com.br/facasuamatricula

– – – – – Clique aqui para acessar o site do Clube Smiles: http://bit.ly/2rupFIA

Clique aqui para vender as suas Milhas na MaxMilhas: http://bit.ly/2qSswLl

Qual o macete pra sair ganhando mais?

– É um processo maluco, da qual você vai ter que acumular milhas e depois vender. Mas, acredite: dá certo.

O processo tem 3 passos:

Passo 1. Assinar o Clube Smiles 10.000 no site da Smiles. https://www.smiles.com.br/clube-smiles/

Isso é importante porque o Clube Smiles permite uma série de planos da qual você paga um valor por mês e começa a ganhar milhas.

O pulo do gato aqui tá no seguinte:

Você vai lá e pega o Clube Smiles de 10.000. Ele custa R$299 por mês (pode custar menos, mas em caso de assinar o plano anual. MAS, PRA DAR CERTO, NÃO PODE ASSINAR O PLANO ANUAL).

O Clube dá algumas coisas interessantes, como reserva de passagem, bônus em compra, etc. Mas o foco aqui são duas coisas:

1 – Não assinar os planos anuais, só o mensal.

2 – Ficar atento no fato de que tem que ter permanência no plano de pelo menos 6 meses.

Passo 2. Como o bônus do Clube te dá +10.000 de milhas bônus nos primeiros 3 meses, após os 3 primeiros meses você terá um total de 60.000 milhas.

Nesse momento, você deve fazer exatamente o seguinte: realizar um downgrade, ou seja, alterar o seu plano do clube pro plano de 1.000 pontos. Com isso, a partir do quarto mês você receberá 1.000 milhas por mês, mas irá pagar o valor mensal de R$ 42,00 por mês.

Você vai perder também um pouco dos benefícios, mas como eles não eram realmente importantes pra estratégia aqui, tudo bem.

Mas, aqui tenho que frisar o seguinte: tem que fazer o downgrade, NÃO PODE CANCELAR O PLANO. Se cancelar, você pode perder as milhas bônus que tinham sido acumuladas.

Agora, colocando tudo na ponta do lápis, após 6 meses, que é justamente o prazo que você tem que ficar com o clube, você terá acumulado 63 mil milhas (60 dos primeiros 3 meses e 3 mil dos 3 meses seguintes), e terá pago por tudo isso o valor de R$1023,00.
Ou seja: você irá pagar R$16,23 por cada mil milhas, um valor bem inferior aos R$70 que a Smiles cobra para a compra direta de milhas.

E aqui, entramos no terceiro passo:

3. Essas milhas podem ser vendidas na MaxMilhas por um valor médio de R$22,50. Esse valor varia devido a uma série de fatores, como oferta e demanda de milhas no mercado, mas geralmente circula na média dos R$22,50. (PS: Há bem pouco tempo, elas chegaram a valer até R$26,30).

Logo, o que você faz? Exatamente. Vende essas milhas na MaxMilhas.

Ou seja: se você vender pelo valor médio (R$22,50), você terá um lucro de R$391,23 em 6 meses.

Se der sorte e conseguir mais (como os R$26,30), você terá R$630,63 de lucro.

Esse lucro, no caso 1, equivale a um rendimento mensal de 0,9% ao mês, e no caso 2 de 1,34% ao mês.

Logo, é um lucro interessante de se obter, já que hoje, por exemplo, praticamente não encontramos mais investimentos de renda fixa que pagam 1% ao mês.

O óbvio aqui, claro, é que essa rentabilidade não vem sem risco. Pra isso dar certo, tem que contar que você realmente conseguirá vender por esses valores, o que não tem garantia.

Mas, é uma forma que você tem pra ganhar dinheiro com milhas, e pelo rendimento, TALVEZ faça sentido fazer isso.

Inscrições abertas para a Mentoria do Mil ao Milhão 4.0: https://r.oprimorico.com.br/facasuamatricula

– – – – – Finclass – Aprenda como começar a investir com Thiago Nigro, Bruno Perini e Breno Perrucho: http://bit.ly/ytbcthiago_finclass

Link MaxMilhas: http://bit.ly/2lA94A8
Link Primocast #32 – O Rei das Milhas (Max Oliveira) https://spoti.fi/2kgnZzn

1. Cartão de Credito

Uma percepção errada que as pessoas têm do cartão de crédito é achar que ele é um causador de problemas – o responsável pelo seu endividamento.

Na realidade é ao contrário: o cartão pode te ajudar a controlar seus gastos, e até mesmo te ajudar a ganhar uma grana que você não tinha. Como?
Acumular pontos!

Por exemplo:
Imagine que o Gui quer comprar o novo iphone, que custa R$6.000 Beleza?

Se ele comprar pela internet, numa loja parceira do clube de fidelidade, que esteja com uma promoção em que se recebe 10 milhas por real gasto, ele receberia 60.000 milhas. Isso, sem falar dos pontos que ele já receberia ao comprar usando o cartão de crédito.

Diferente do Kaique, o Gui trabalha muito, e por isso não vai viajar com as milhas. Por isso ele resolveu vender essas 60.000 milhas na MaxMilhas.

O preço das milhas é variável de acordo com a época da venda e com o programa de fidelidade, sendo que você que define seu preço de venda. Considerando que ele vendeu cada
1.000 milhas por R$28,00. Ele recebeu R$1.680,00 por elas.

Dessa forma, o smartphone custou pro Gui, na verdade, R$4.320,00. 28% mais barato! Melhor que comprar na gringa, hein?

Bom, pra vender suas milhas é muito fácil, é só acessar o site da MaxMilhas , clicar em “Vender Milhas”, fazer seu cadastro gratuito e definir o preço e a quantidade de milhas do seu programa de fidelidade.

Se você estiver precisando de grana rápida, você tem duas opções: colocar um preço abaixo do sugerido na venda convencional ou optar pela venda rápida.

Mas se você tiver tranquilo e quiser ganhar uma graninha a mais é só colocar o valor um pouco acima da média sugerida na venda convencional.

Então, Primos, vou deixar o link na descrição pra vocês conhecerem a plataforma e venderem
suas milhas, beleza?
2. CPF na nota
A Nota Fiscal Paulista basicamente é um programa do governo, criado ainda lá em 2007, como
um programa para combater a sonegação de impostos no Brasil.

-3. Subscrição de Ações

– A subscrição de uma ação acontece quando uma empresa quer aumentar o seu capital social. Dessa forma, a empresa aumenta o seu número de ações disponíveis no mercado e cede, ao investidor que já possui ações da empresa na bolsa de valores, um direito de
subscrever, ou seja, adquirir novas ações por um preço que é geralmente mais barato do que o preço praticado no mercado.
Por isso, o investidor tem um bônus: ele consegue ter mais ações da empresa e pagar menos por isso do que faria normalmente, e isso já sem os custos como corretagem, etc.

Passo 1: Entender que vamos ter que fazer sacrifícios
O lance é que cara, se você tem uma dívida de 500 reais no seu cartao de credito, você não tá em condição de pagar 200 reais em um sapato no shopping. E mais do que isso: se você está devendo, uma parte do seu tempo tem que ser destinada a ir construindo as suas soluções pra juntar dinheiro, e fazer o investimento para solucionar a sua divida. Dicas como abdicar da música no ônibus pra, pelo menos um pouco, ouvir um audiobook que vai agregar valor a você e no seu trabalho.

Passo 2: Levantar suas dívidas

E é fato, primos: antes de ter sucesso, nós precisamos entender o quão grande e o quão alavancada pode ficar a nossa dívida. Isso é muito importante para bolar o nosso plano de ação.

Até porque, veja só: existe uma diferença enorme em saber o quanto estamos devendo, e compreender o impacto que isso pode gerar no longo prazo. Por termos uma informação do montante devido e também do quanto ele vai crescer com o tempo, podemos tomar uma decisão mais assertiva. Negligenciar o tamanho da nossa dívida e o quanto ela cresce é ter a certeza de que o problema vai demorar para ser resolvido.

Passo 3: Ter uma planilha de orçamento
A planilha de orçamento é muito importante. Isso porque, olha só, acabamos de falar que temos que conhecer a nossa dívida. Um desses conhecimentos necessários é justamente entender qual é a ORIGEM da nossa dívida.

A planilha de orçamento será capaz de fazer com que o seu problema fique tácito, ou seja, que você consiga visualizar onde realmente está o seu problema, e não ficar somente imaginando. Não só pelo fato de você conseguir detalhar os seus gastos mensais, mas além: a planilha de orçamento também clareia para você se o seu problema está sendo o fato de gastar demais em coisas desnecessárias, ou se você precisa gastar de forma mais eficiente e ganhar mais dinheiro.

Passo 4: Trocar os juros da sua dívida por um menor

Exemplificando, imagine que você esteja devendo 500 reais no crédito rotativo, conhecido por cheque especial. No mês de maio nós tínhamos uma taxa no crédito rotativo de 12,52% ao mês. Isso significa que, em um ano, a nossa dívida de 500 reais pularia para R$2.059,33 e, em 5 a nossa dívida alcançaria R$592.588,77.

Agora, vamos supor outro cenário: imagine que, assim que você passou a dever 500 reais no crédito rotativo você, ao invés de deixar a dívida rolando, pegou um consignado com um banco pela taxa de 2,53% ao mês. A sua dívida de 500 reais, em 1 ano, se tornaria uma dívida de R$674,81, e, em 5 anos, se tornaria uma dívida de R$2.238,86.

Passo 5: Renegociação de dívida
Agora, pode ser que tenhamos um problema extremo aqui: Você já fez o primeiro e o segundo passo, mas ainda não consegue ganhar dinheiro suficiente pra abater a dívida porque o tempo potencializa o saldo devedor, e não consegue também juros menores porque seu nome está sujo. O tipo de situação em que parece que você vai afundar no limbo. O que fazer?

Vira pro banco, ou pra quem você deve, e veja as alternativas pra pagar a dívida, seja de forma parcelada ou até mesmo com desconto se pagar à vista.

Até porque, veja: muitas instituições financeiras tentam facilitar esse processo para o devedor. O banco tem interesse em receber o valor da dívida e vai buscar alguma condição que seja favorável para ambas as partes.

Se coloca no lugar do banco: Você empresta dinheiro pra alguém .. você quer ganhar o máximo de dinheiro possível, claro, mas você também não quer tomar calote. Pro banco, é importante que o cliente consiga pagar. Entende? Então entre o cliente não conseguir pagar, e ele conseguir renegociar a dívida, é melhor a segunda opção, certo? Inclusive pro banco.

O problema é que muitas pessoas perdem o timing aqui. Procuram o recurso quando o banco não tem muito incentivo, e deixam de procurar quando o banco está querendo, de fato, fazer as negociações. Tenho certeza que isso já aconteceu com você, pois comigo acontece direto!

Agora, muito importante: lembra que, no passo 2 do vídeo, nós falamos sobre você entender como está a situação da sua dívida? É esse o momento pra você também usar esse tipo de informação ao seu favor. De nada adianta negociar algo com o banco se, depois da negociação, você ainda não vai conseguir pagar. Então, abra o jogo com o banco e procure guiar a negociação de forma com que essa negociação coincida com a sua realidade, beleza? Nem que seja necessário você fazer uma contraproposta ao banco.

Dica bônus: Renda Extra
Por meio da planilha de orçamento, o nosso problema é que os nossos gastos essenciais já superam a nossa renda mensal, e é por isso que as dividas aparecem

Redes Sociais:
BLOG – http://oprimorico.com.br
YOUTUBE (inscrever-se) – http://bit.ly/1S6WMoM
FACEBOOK (curtir página) – https://www.facebook.com/oprimorico
TWITTER: https://twitter.com/thiagonigro
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/thiago.nigro/
PODCAST: https://soundcloud.com/thiagonigro

Inscrições abertas para a Mentoria do Mil ao Milhão 4.0: https://r.oprimorico.com.br/facasuamatricula

– – – – – Redes Sociais: BLOG – http://oprimorico.com.br YOUTUBE (inscrever-se) – http://bit.ly/1S6WMoM FACEBOOK (curtir página) – https://www.facebook.com/oprimorico TWITTER: https://twitter.com/thiagonigro INSTAGRAM: https://www.instagram.com/thiago.nigro/ PODCAST: https://soundcloud.com/thiagonigro

Score é aquele tipo de coisinha na nossa vida que podemos até passar um tempo sem conhecimento de sua existência, mas uma hora ou outra, ele bate na nossa porta. Principalmente no cartao de credito.

Mas, afinal de contas, o que é exatamente esse raio de score? E por que ele é importante na minha vida?

O score nada mais é, e assim como o nome dele diz, que uma pontuação. Ele vai de 0 a 1000 e é uma pontuação SUA, que é registrada no seu CPF ou CNPJ, caso estivermos falando de empresas ,e que tem como funcionalidade indicar qual a sua probabilidade de pagar as contas em dia.

Em outras palavras, basicamente é uma pontuação que acaba traduzindo o risco que uma instituição toma ao emprestar dinheiro para você. E é por isso que, muitas vezes para quem tem 18 anos, ele é uma fronteira a ser batida. Como estamos nos inserindo como pessoas responsáveis, é difícil ter um score relativamente alto. Seja porque não temos um histórico suficiente de bom pagador, seja porque o primeiro passo de quem começa a vida de adulto é gastar como adulto – e sem ter grana pra isso.

Para você ter uma ideia desse problema, o score médio de pessoas entre 18 a 20 anos é de 474, o que, nos padrões do serasa, é uma pontuação de risco médio. Ou seja, potencialmente pessoas entre 18 e 20 anos tem alguns problemas com o pagamento de contas e em conseguir crédito na praça.

Mas, claro, não é problema só de jovens. Inadimplência é um problema recorrente no Brasil, e que se intensificou ainda mais com a crise econômica.

Do outro lado da moeda, o Brasil vem melhorando, e alguns indicadores mostram que as pessoas estão voltando a procurar por crédito, o que reforça a ideia de que é importante ter um score bom para conseguir fazer com que essa procura tenha êxito.

Mas primo, é só por causa disso que ele é importante?

Não somente.

E na realidade, pode ser que até alguns estejam pensando “poxa primo, você me ensinou até agora que eu não devo pegar financiamento e nem nada do tipo, por que raios você vai me ensinar a ter um score bom pra facilitar que eu pegue crédito?”

E isso é porque o crédito tem usos, primo.

1. A ideia de que o crédito é sempre ruim é errada. Na realidade, existe o crédito bom, que é aquele crédito que tomamos quando queremos construir algo de valor. Quando estamos criando uma empresa, por exemplo, é difícil que nós tenhamos todos os recursos necessários em mãos para podermos colocar um novo projeto ambicioso em andamento. Nesses casos, o crédito, é uma solução viável. Claro que o projeto pode acabar se tornando um erro e o crédito se tornar um peso na sua vida, mas geralmente aqui é um risco do empreendedorismo.

2. Como eu já mostrei em um vídeo antigo aqui do canal, o CARTÃO DE CRÉDITO pode ser um grande aliado no controle das finanças pessoais, já que você consegue usar as funcionalidades dele para ir investindo e ganhando um pouquinho de dinheiro com o valor referente às mensalidades do cartão. Se você quer entender um pouco melhor o funcionamento disso, clique no link acima, ok?

Ou seja, em linhas gerais, existe o crédito bom, e ele geralmente é acessível a nós, independentemente se somos empreendedores ou não, pelo cartão de crédito.

Só que, claro, existem problemas relacionados a ele. E aqui eu nem estou falando muito em relação a tendência de muitas pessoas utilizarem ele para gastos compulsivos, mas principalmente em relação às TAXAS.

Que, no fim, é aquela famosa taxa de anuidade que, de pouquinho em pouquinho, vai comendo uma puta grana nossa.

Por essas e outras, cartões como o NUBANK, que são oferecidos sem taxas e sem anuidade, se tornaram tendência no mercado, e muito legais de serem adquiridos.

E o detalhe é que, para conseguirmos esses cartões, o score é ALTAMENTE importante. Querendo ou não, precisamos de um bom Score para termos acesso a essas formas legais de economizar. Entendeu a importância do Score?

Legal, primo! Entendi a importância do Score. Mas como eu aumento ele?

Inscrições abertas para a Mentoria do Mil ao Milhão 4.0: https://r.oprimorico.com.br/facasuamatricula

– – – – – Link para conseguir os pontos gratuitamente: http://www.meubancotemdotz.com.br/oprimorico/

E aí primo, você utiliza seu programa de fidelidade de forma correta? 🙂

Redes Sociais:
BLOG – http://oprimorico.com.br
YOUTUBE (inscrever-se) – http://bit.ly/1S6WMoM
FACEBOOK (curtir página) – https://www.facebook.com/oprimorico
TWITTER: https://twitter.com/thiagonigro
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/thiago.nigro/
PODCAST: https://soundcloud.com/thiagonigro

Hoje em dia, apenas 8% dos brasileiros acumulam e utilizam os pontos de programas de fidelidade corretamente. Por outro lado, 67% da população investe em poupança.

Os programas de fidelidade são planos criados pelas empresas para incentivar, obviamente, a fidelidade de seus clientes.
É simples assim, um exemplo: temos a TAM e temos a GOL. As duas empresas, como sabemos, disputam, tipo Game Of Thrones, aquela clientela que viaja com maior frequência, tanto a trabalho como a passeio.

Como é uma concorrência incisiva, você pode até pensar: “ah, tanto faz com qual, o que importa é ser mais barato”. Foi aí que, pra tentar alimentar uma fidelidade desse cliente buscando pelo mais barato, pra não perdê-lo por pouca coisa, criaram-se os programas de fidelidade. No caso das companhias áreas, os programas utilizados são os famosos PROGRAMAS DE MILHAS.

Ou seja, você viaja com uma companhia, por exemplo: a TAM, essas suas viagens vão acumulando milhas, até o momento em que você pode trocar estas milhas somadas por uma outra viagem. Eu mesmo, por exemplo, já cansei de viajar com milhas acumuladas. INCLUSIVE, já até levei minha mãe pra viajar com as minhas milhas!

Atualmente existem também os não menos famosos, PROGRAMAS DE PONTOS.

Eles funcionam de um jeito bem parecido dos programas de milhas. Só que, no caso dos programas de pontos, abre-se um mar de possibilidades de ganho.

Melhor explicando: no programa de pontos o retorno é muito mais rápido, você acumula pontos nas compras do dia-a-dia e depois troca por diversas coisas como: eletrodoméstico, brinquedos, experiências e pode usá-los até pra PAGAR SUAS CONTAS. Sabia disso?

Outra forma é por meio de compras com cartão de crédito. Muito bancos já contam com parcerias com programas de fidelidade, tais como a Dotz ou a Multiplus. Nesse caso você consegue juntar pontos em todo e qualquer tipo de compra.

É importante ressaltar que os acordos variam de programa para programa. Existem taxas de incentivo, spreads e outras coisas que o estabelecimento parceiro paga aos programas de fidelidade. No entanto, quando se trata de programas de coalizão, as empresas que fazem parte da coalizão – o posto, o mercado, a farmácia – elas PAGAM ao sistema de fidelidade uma parcela DA SUA COMPRA, pois, o programa entende que você poderia nem conhecer essa empresa parceira se ela não fosse inscrita no programa. Você poderia até mesmo recorrer à concorrente.

Para ganhar pontos mais rápido varia de qual tipo de programa você usa, já que cada um tem as suas especificidades.
A principal ação é encontrar lojas parceiras desses programas, pois elas geralmente trazem algum benefício a mais.
As suas compras nessas lojas, por exemplo, podem render mais pontos do que compras numa loja convencional.

E tem mais, hein! Você consegue mais pontos fazendo: review em sites; assinando os planos especiais dos programas de pontos; e até mesmo nas promoções por tempo limitado.

A dica de ouro é: estar sempre de olho, ir acompanhando o que seu programa tem pra oferecer!

Inscrições abertas para a Mentoria do Mil ao Milhão 4.0: https://r.oprimorico.com.br/facasuamatricula

– – – – – Primos, não caiam nessas 5 armadilhas! :X
Redes Sociais:
BLOG – http://oprimorico.com.br
YOUTUBE (inscrever-se) – http://bit.ly/1S6WMoM
FACEBOOK (curtir página) – https://www.facebook.com/oprimorico
TWITTER: https://twitter.com/thiagonigro
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/thiago.nigro/
PODCAST: https://soundcloud.com/thiagonigro

No decorrer da minha vida, sempre vi situações em que fulano está tentando melhorar sua vida financeira, já criou a planilha de orçamento e tudo, mas simplesmente não consegue fazer sua conta no mês bater. É comum, inclusive, que frequentemente nos deparemos com essas armadilhas, que ficam ali, quietinhas, só esperando a gente vacilar para nos pegarmos. E o pior é que várias destas só mostram a cara no final do mês, quando já demos destino a uma boa parte do nosso dinheiro. Para quem ainda está construindo o fundo de emergência, por exemplo, isso pode ser um fator complicador e tanto.
Armadilha n°1: Os gastos pequenos
Dica:
O primeiro passo fundamental para não cair nesse tipo de armadilha é: tenha controle de todos os seus gastos.
Isso não significa que você não pode comprar a coxinha do seu Zé de vez em quando. Significa que, se você for comprar a coxinha dele, deixar registrado na sua planilha ou em algum lugar que você tenha o controle das suas finanças pode melhorar sua vida. Com isso, você:
1) Não tem surpresas no final do mês com falta de dinheiro;
2) Consegue entender melhor de onde você pode tirar dinheiro caso queira economizar;
3) Tem uma ideia melhor do fluxo que o seu dinheiro está tendo no seu dia-a-dia e o impacto dele no todo!
Além disso, se você é mais controlado para não gastar compulsivamente, você pode também estipular uma parte do seu orçamento, por exemplo R$50,00, para gastar de forma livre assim. Ai, se você ver algo na rua que te desperte uma vontade, você não precisaria se privar disso, pois já tinha planejado esse tipo de gasto anteriormente!
Armadilha n°2: Cartão de crédito
Dica:
E é com a mesma ideia desse vídeo que a dica aqui é: Há formas de usar o cartão de crédito de forma eficiente. Não precisa quebrar o seu cartão de crédito, ou também usar ele de forma descontrolada. Ele pode e deve ser o seu aliado!
Por isso, uma vez que já tenha o seu orçamento, por exemplo, utilize o seu orçamento como base para o que você pode gastar com o cartão. Pois, como o valor vai vir na fatura, você compra 100 reais em produtos, por exemplo, pega esse valor do seu orçamento e investe num tesouro Selic. Pois aí, quando a data da fatura estiver se aproximando, você retira o investimento e usa para pagar a fatura. O rendimento vai ser muito pequeno, mas aos poucos isso vai complementando sua renda e pode virar algo expressivo no futuro!
Mas lembre-se: Se você não tem o dinheiro, evite o máximo possível realizar essas compras para pagar com um dinheiro que você acredita que vai ter no futuro. Isso pode te gerar uma dívida desnecessária, e todos sabemos o quanto é danosa uma dívida vinda do cartão de crédito!

Armadilha n°3: Tempo do financiamento
Já digo logo de cara que, de nenhuma forma, se endividar é uma boa prática. Quem já acompanha o canal, sabe que eu sempre digo que vale muito mais a pena pegar o dinheiro e investir do que se endividar para conseguir alguma coisa. O problema dessa armadilha é que, para muita gente, é uma necessidade, um desejo enorme, ter um imóvel o mais rápido possível, por exemplo. E isso faz com que a pessoa, ao ver um financiamento com um juro um pouco mais baixo, já considere se endividar para adquiri o que ela deseja. O problema é que, muitas vezes, o tempo do financiamento simplesmente não é ponderado, e é aí que reside o problema.

Armadilha n°4: Investir para pagar uma dívida
Dica:
Por isso primos, se vocês estiverem numa situação dessas, a dica aqui é: amortize a sua dívida da melhor forma possível. Procure diminuir os juros a serem pagos ou o tempo de pagamento, mas não procure arriscar perder esse dinheiro sendo que você precisa dele.
Outra ideia importante é que, melhor forma possível não significa que você deve usar TODO o seu dinheiro para isso. É importante, nesses casos, ter pelo menos um valor seguro como fundo de emergência, pois nada impede que surja um imprevisto no meio do caminho, e você precisa ter uma segurança nesses casos. Se livrar de uma dívida para ficar zerado e cair em outra não é uma boa prática!

Armadilha n°5: Trocar o futuro pelo presente
Essa armadilha é uma armadilha que, infelizmente, acontece muito com os jovens hoje em dia. Muitos jovens, até mesmo quando eles têm educação financeira, sabem que precisam investir para aposentadoria, simplesmente deixam para depois usar um pouco do seu dinheiro para esse fim.

Inscrições abertas para a Mentoria do Mil ao Milhão 4.0: https://r.oprimorico.com.br/facasuamatricula

– – – – – Link do e-book da carteira de investimentos do primo rico: http://lp.rico.com.vc/lp/ebook-carteira-primo-rico

Se você parar para pensar, você pode transformar um de seus MAIORES INIMIGOS em aliado. Pensando nisso, eu te conto nesse vídeo qual a forma correta de usar o Cartão de Crédito, e é assim mesmo que eu faço no dia-a-dia! Dá uma olhadinha! Vamos lá.

Cartão de Crédito – Como Usar corretamente!

Conteúdo:
– Cartão de Crédito vale a pena? Sim!;
– Você tem que tomar cuidado com o Cartão de Crédito, pois ele pode te gerar muitas dívidas.
– Se você for em um shopping, você se depara com um sapato de R$ 300,00. Vale a pena comprar à vista sem desconto? Não! Se você passar no cartão, pagará R$ 300,00 só daqui 30 dias, e até lá, deixa seu dinheiro rendendo. Assim, você ganha os juros sobre esse valor todo mês.
– Além disso, o cartão tem um efeito centralizador de datas, e você ainda ganha pontos para viajar. Isso tem um grande valor!;
– Só vale a pena usar o cartão de crédito se você não tiver desconto para pagamento à vista.
– As taxas de cartão ao ano podem chegar a 400% ao ano caso você não pague a fatura!
– O cartão não deve ser utilizado por quem não tem controle financeiro. Assim, você pode entrar em um efeito bola-de-neve, e aí a casa cai!
– Tome cuidado com as anuidades do cartão de crédito.

BLOG – http://oprimorico.com.br
YOUTUBE (inscrever-se) – http://bit.ly/1S6WMoM
FACEBOOK (curtir página) – https://www.facebook.com/oprimorico
__________

Link para esse vídeo: https://youtu.be/tD_lGsXWJgg
Metodologia de Investimentos: https://www.youtube.com/watch?v=Q0YAyTffdrc
Artigo TUDO sobre Tesouro Direto: http://oprimorico.com.br/investimentos/guia-completo-tesouro-direto-invista-sem-medo/
Artigo TUDO sobre Previdência Privada:
http://oprimorico.com.br/previdencia-privada/previdencia-privada-tudo-o-que-voce-precisa-saber/
Link para Tesouro SELIC: https://www.youtube.com/watch?v=47gXDRWcVZA