Como imprevistos acontecem é muito importante que você saiba como construir uma reserva de emergência. Ela é fundamental para todas as pessoas já que não podemos prever o futuro.

No entanto, estima-se que 60% dos brasileiros não possuem uma reserva de dinheiro guardada para eventuais problemas que podem comprometer todo orçamento, por exemplo, problemas de saúde, desemprego e entre outros.

Se você também é um desses brasileiros que não tem uma reserva e quer fazer um, observe aqui algumas dicas.

O que é uma reserva de emergência 

Uma reserva nada mais é do que uma quantidade de dinheiro guardado para cobrir possíveis imprevistos como:

  • Conserto urgente da sua residência ou do carro, 
  • Compra de remédios em caso de doenças graves, 
  • Procedimento cirúrgico, 
  • E entre outros. 

Essa quantia em dinheiro deve ser suficiente para cobrir as suas despesas por 6 meses. No entanto, o ideal mesmo é que ela promova tranquilidade para você por pelo menos um ano.

Para começar a fazer você deve primeiramente calcular as suas despesas, somando todos os gastos fixos e variáveis que tem todos os meses.  Inclua o aluguel, condomínio, água, luz, internet e entre outros. 

As despesas variáveis podem ser alimentação, farmácia, cartão de crédito e entre outros.

Por exemplo, se a sua despesa mensal é de R$ 2 mil, a sua reserva de emergência de seis meses deve ser de R$ 12 mil. Porém, o ideal seria juntar pelo menos 24 mil.

Além disso, você pode construir uma reserva de emergência baseada em seu salário ou pró-labore.

Para isso, basta pegar o valor total e multiplicar pela quantidade de meses que você acha necessário para fazer a reserva. Porém, neste caso é importante gastar menos do que ganha.

Como construir uma reserva de emergência 1

5 Dicas para construir uma reserva de emergência 

Para que você possa criar a sua reserva com tranquilidade observe abaixo algumas dica.

1. Faça o registro das receitas e despesas

Para começar a construir uma reserva de emergência primeiramente você deve fazer um controle bem detalhado, de pelo menos três meses, de todas as suas despesas. 

Faça o mesmo registro com as suas receitas líquidas levando em consideração o desconto do imposto de renda, contribuições e entre outros.

2. Separe o importante daquilo que não é

Nesta parte você deve se reunir com os seus familiares para analisar profundamente os itens que podem ser cortados.  No entanto, tenha cuidado para não cortar algo que possa agredir o seu estilo de vida.

Algo interessante para fazer é listar quais os gastos são prioritários. Essa lista vai ajudar a separar o que é importante daquilo que é supérfluo. 

3. Defina um valor mensal para poupar

Após cortar algumas despesas e o dinheiro começar a sobrar você deve definir o valor que será poupado mensalmente. Mesmo que esse valor seja pequeno começar a poupar é o primeiro passo.

4. Escolha um investimento 

Para ajudar no crescimento da sua reserva escolha um tipo de investimento apropriado para o seu dinheiro.  No entanto, você precisa observar o seu perfil de investidor (conservador, moderado ou agressivo), além da quantia que será aplicada e a sua experiência como investidor. 

5. Deixe o dinheiro como prioridade

É importante que você faça uma avaliação a cada 6 meses para observar como está o crescimento da sua reserva de emergência e se já é possível pensar em outros investimentos e novas metas.

Essa análise é importante para você saber se velocidade da sua poupança está dentro expectativa ou se precisa de algum ajuste. 

Author

Write A Comment